quarta-feira, 27 de janeiro de 2010


O BATISMO NO ESPÍRITO E O DOM DE LÍNGUA ESTRANHA -------------------------------------------------------------------------------- Já ouvimos alguns irmãos pronunciarem que ainda não receberam o batismo no Espírito Santo, por entender que o batismo do Espírito só é concebido aos que falam línguas estranhas. Ocorre que, muitas vezes, o irmão não fala em línguas, mas já está selado com a promessa (Atos 19.2 e Efésios 1.11-13), porque falar as línguas é um dos dons espirituais. Vejamos: -------------------------------------------------------------------------------- Ao terceiro dia, Jesus Cristo ressuscitou e pôs-se no meio dos apóstolos, onde estavam reunidos e disse-lhes: Paz seja convosco. E, havendo dito isto, soprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo (João 20.20-22). E o livro de Atos 1.5-8, narra que no período entre a ressurreição do Senhor e a sua ascensão à Glória do Pai, Ele se apresentou novamente entre eles e lhes disse: João, na verdade, batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias. Recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra. No que se consumou no livro de Atos cap. 2, ao cumprir-se o dia de Pentecostes, ocasião em que estavam todos reunidos no mesmo lugar; de repente, veio do Céu um som, como de um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam assentados. E fora vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles. E todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem. E correndo aquela voz, ajuntou-se uma multidão e estava confusa porque cada um os ouvia falar na sua própria língua. Observe que os Apóstolos receberam do Senhor Jesus, o Espírito Santo em duas ocasiões, separadamente e com finalidades distintas. Primeiramente o Senhor assoprou o Espírito sobre eles, numa unção designada para a salvação (João 20.20 a 22). Posteriormente, no dia de Pentecostes os ungiu para obra do ministério (Atos 2.1-4). A partir daquele momento deu-se início a mais extraordinária obra de Evangelização em toda terra, porque Deus era com eles, pelo Espírito Santo do Senhor Jesus. Assim também, ocorre conosco, quando há arrependimento e conversão, recebemos o selo da promessa do Espírito Santo para a salvação da vida eterna. Observemos: Atos dos Apóstolos 2.37-39,disse-lhes Pedro a multidão que os ouvia: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para perdão dos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo. Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos e a todos os que estão longe: a tantos quantos Deus, nosso Senhor, chamar. Palavra confirmada na Carta de Paulo aos Efésios 1.12 e 13, onde diz: Nós, os que de antemão esperamos em Cristo; em quem também vós, depois que ouvistes a palavra da verdade, o Evangelho da vossa salvação, tendo nele também crido, fostes selados com o Santo Espírito da promessa. Assim sendo, na sua conversão já recebeste o Espírito Santo de Deus para a Salvação, resta porem, procurar com zelo os dons Espirituais para a obra do seu ministério para o qual fostes chamado por decreto do Altíssimo. LINGUAS ESTRANHA E OS DONS ESPIRITUAIS No Novo Testamento, observamos esse dom de falar em línguas estranhas em duas formas distintas: Descreve o capítulo 2 de Atos, que a primeira vez que os servos do Senhor Jesus falaram em línguas estranhas, ocorreu no dia de Pentecostes (Atos capítulo 2). Posteriormente, na primeira carta aos Coríntios capítulos 12.1-10, descreve sobre os dons espirituais para a obra do ministério, vejam: Ora, a respeito dos dons espirituais, não quero, irmãos, que sejais ignorantes, porque há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo. E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo, porque a um, pelo Espírito, é dada a palavra da sabedoria; a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência; a outro, pelo mesmo Espírito, a fé; a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar; a outro a operação de milagres; a outro a profecia; a outro o dom de discernir espíritos; a outro a variedade de línguas; e a outro a interpretação de línguas. Mas um só Espírito opera todas estas coisas, distribuindo particularmente a cada um como quer. E em I Coríntios 14.1, está escrito: Procurai com zelo os dons espirituais, mas principalmente o de profetizar. Porque o que fala em língua não fala aos homens, mas a Deus; pois ninguém o entende; porque em espírito fala mistérios. Mas o que profetiza (pregar o Evangelho) fala aos homens para edificação, exortação e consolação. Podemos observar que os discípulos de Cristo falaram primeiramente em línguas estranhas, para as nações estrangeiras que estavam presentes, as quais praticavam outro idioma, mas os entendia porque falavam na sua própria língua, pois a língua fora repartida de forma que todas as nações estrangeiras presentes, tiveram a oportunidade de conhecer o propósito de Deus para a alma humana e o sacrifício do Senhor Jesus Cristo, pela pregação do Evangelho através dos Apóstolos, na linguagem de origem de cada nação. E posteriormente nas cartas, a palavra fala dos dons espirituais, e adiciona o dom de língua estranha ou língua dos anjos, como um sinal para os infiéis, para que se cumpra a palavra no livro de Joel 2.28, 29, porem, mostra a necessidade da interpretação dessa língua, aliás, há um dom específico para interpretar a língua estranha, para que a igreja de Cristo seja edificada. E o capítulo 14 da primeira carta aos Coríntios, disciplina o zelo indispensável para que a igreja seja edificada por esse dom, onde a Palavra ressalta a importância de falar em línguas, mas alerta que, mais importante é o dom de profetizar. Profetizar, mas não como adivinhação, como vem acontecendo em muitas comunidades, mas profetizar como pregação do Evangelho, pelo qual está declarada todas as profecias para a vida vindoura, que é a salvação para a vida eterna, para os que crêem em Jesus Cristo, como seu único e suficiente salvador. Meditemos: Porque o que fala língua estranha não fala aos homens, senão a Deus; porque ninguém o entende, Mas o que profetiza fala aos homens para edificação, exortação e consolação. O que fala língua estranha edifica-se a si mesmo, mas o que profetiza edifica a igreja. O que profetiza é maior do que o que fala línguas estranhas, a não ser que também interprete, para que a igreja receba edificação. Porque se, com a língua, não pronunciardes palavras bem inteligíveis, como se entenderá o que se diz? Pelo que, o que fala língua estranha, ore para que a possa interpretar. Porque, se eu orar em língua estranha, o meu espírito ora bem, mas o meu entendimento fica sem fruto. Que farei, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento. Todavia eu antes quero falar na igreja cinco palavras na minha própria inteligência, para que possa também instruir os outros, do que dez mil palavras em língua desconhecida. De sorte que as línguas são um sinal, não para os fiéis, mas para os infiéis; e a profecia não é sinal para os infiéis, mas para os fiéis. Se, pois, toda a igreja se congregar num lugar, e todos falarem línguas estranhas, e entrarem indoutos ou infiéis, não dirão, porventura, que estais loucos? Mas, se todos profetizarem, e algum indouto ou infiel entrar, de todos é convencido, de todos é apreciado. Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação. E, se alguém falar língua estranha, faça-se isso por dois ou, quando muito, três, e por sua vez, e haja intérprete. Mas, se não houver intérprete, esteja calado na igreja e fale consigo mesmo e com Deus. E falem dois ou três profetas, e os outros apreciem. Mas, se a outro, que estiver assentado, for revelada alguma coisa, cale-se o primeiro. Porque todos poderão profetizar, uns depois dos outros, para que todos aprendam e todos sejam consolados. Porque Deus não é Deus de confusão, senão de paz, como em todas as igrejas dos santos. Se alguém cuida ser profeta ou espiritual, reconheça que as coisas que vos escrevo são mandamentos do Senhor. Portanto, irmãos, procurai, com zelo, profetizar e não proibais falar línguas. Mas faça-se tudo decentemente e com ordem. Tivemos a graça de conhecer que, em conformidade com a doutrina na Palavra sobre línguas estranhas, como também a ordem nas reuniões, há um confronto visível relacionado ao que se praticam hoje na maioria das igrejas denominacionais. Lamentavelmente, até os dons espirituais o homem banalizou, porque o falar em línguas não é compatível com as frases decoradas que ninguém entende, as quais, os pregadores repetem inúmeras vezes, numa falsa demonstração de unção espiritual. Porventura teria o Espírito Santo de Deus modificado a forma de operar e manifestar? A Palavra alerta que falando alguém línguas estranhas, que haja também intérprete, e se não há quem a interprete, o profeta deve permanecer calado e orar em espírito, porque o espírito está sujeito ao profeta. Mas como afirma a palavra, precisamos procurar com zelo os dons espirituais para a obra do ministério, pelo qual fomos chamados, para edificação da Igreja membrada no Corpo de Cristo. Deus seja eternamente louvado e o seu amado Filho glorificado.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

"austriaco escapa de acidente, vai a igreja agradecer e morre esmagado por altar"

Caso ocorreu em Viena, segundo a imprensa britânica.


Gunther Link, de 45 anos, morreu imediatamente.

O austríaco Gunther Link, um católico devoto de 45 anos, escapou da morte quando ficou preso em um elevador. Em seguida, foi a uma igreja agradecer a Deus, mas o altar de pedra caiu sobre ele e o matou, segundo o jornal britânico "Telegraph".

O caso ocorreu na Igreja Weinhaus, em Viena, capital austríaca. Link teve morte instantânea, segundo o jornal.

"Ele era um homem muito religioso, ficou assustado quando ficou preso no elevador e rezou para se livrar", disse Roman Hahslinger, porta-voz da polícia.

"Pouco depois, ele saiu do elevador e foi direto à igreja para agradecer", disse o policial. "Ele aparentemente abraçou um pilar de pedra em que o altar estava apoiado, e o altar caiu sobre ele, matando-o na hora."

O corpo de Link foi encontrado por paroquianos que chegaram à igreja no dia seguinte para assistir a uma missa.

As impressões digitais da vítima foram encontradas no altar. O caso vai ser investigado.

G1/Notícias Cristãs




sábado, 14 de novembro de 2009

Amando o "Inimigo"


Autor Desconhecido
Certa vez um homem foi visitar o pastor dizendo que queriam se divorciar da sua mulher. O pastor disse, "Mas a Bíblia diz que você deve amar sua esposa como Cristo amou a igreja."(Efé 5:25). O homem respondeu, "Mas, eu não consigo. E, de qualquer forma, eu não sou perfeito como Cristo."
O pastor disse, "Então, se não conseguir assim, lembre que Jesus nos mandou amar o nosso próximo. Você não pode continuar a amar ela como seu próximo?" (Mar 12:33)
O homem disse "Mas, ela me traiu, ela não me trata como próximo dela. Não consigo amar ela como meu próximo."

"Então," disse o pastor, "Só tenho mais uma palavra do Senhor. 'Amai os vossos inimigos'." (Mat 5:44; Luc 6:27)

A FELICIDADE

Um dia, Deus e os anjos se reuniram e decidiram criar um homem e uma mulher.

Planejaram criá-los à sua imagem e semelhança.
Então, um deles disse:
- Esperem! Se vamos criá-los à nossa imagem e semelhança, irão ter um corpo igual ao nosso, força e inteligência igual a nossa! Devemos pensar em algo que os diferencie de nós, senão estaríamos criando novos deuses. Devemos tirar-lhes algo, mas o que poderíamos tirar?

Depois de muito pensarem, chegaram à conclusão que deveriam tirar-lhes a FELICIDADE, mas o problema era onde escondê-la para que nunca encontrassem. Então começaram a discutir...

- Vamos escondê-la na montanha mais alta da Terra!
- Não te recordas que demos força a eles? Alguém conseguirá subir até o topo desta montanha e saberão onde ela está.

- Então vamos escondê-la no fundo do mar!

- Também não seria um bom lugar, pois lhes demos inteligência e alguém certamente vai criar alguma máquina que os fará submergir e encontrá-la.

- Quem sabe, possamos escondê-la em um planeta bem distante!
- Também não seria eficaz, pois lhes demos a curiosidade e a ambição, portanto, irão querer ultrapassar limites e logo criarão algo para voar pelo espaço e certamente a encontrarão.

Depois de muito discutirem e não chegarem a nenhuma conclusão, o sábio anjo que não havia falado, pediu a palavra e disse:

- Creio que sei onde poderemos colocar a FELICIDADE em um lugar que eles nunca descobrirão!

Todos ficaram espantados e lhe perguntaram.....

- Então nos diga, onde?

E ele respondeu:

- Colocaremos a FELICIDADE dentro deles, pois estarão tão preocupados buscando-a fora, que nunca a descobrirão.

Todos ficaram de acordo e desde então tem sido assim:

"O HOMEM PASSA A VIDA TODA BUSCANDO A FELICIDADE SEM SABER QUE A TRAZ CONSIGO MESMO".


quinta-feira, 12 de novembro de 2009

RASÃO DA QUAL O HOMEM SOFRE.

ÁRVORE DO CONHECIMENTO DO BEM E DO MAL


Assunto: Conhecimento-adquirido por participação: em fatos ou por observação deles.

Gênesis- 2:9- E o SENHOR Deus fez brotar da terra toda a árvore agradável à vista, e boa para comida; e a árvore da vida no meio do jardim, e a árvore do conhecimento do bem e do mal.

Saber; conhecer; ter experiência de aprender com sabedoria de Deus e não de outro.

Conhecimento verdadeiro: Em fatos ou por observar, ouvir, aprender teoricamente e depois colocar em prática sob a direção do criador.

Mateus-7: 17 a 23 - Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus.

Não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons. Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo.

Portanto, pelos seus frutos os conhecereis. Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! Entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.

Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? E em teu nome não expulsamos demônios? E em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade.

A figura da geração é uma árvore, tem qualidade de uma semente que adquirimos de nosso antepassado “Adão” todos alimentamos desta árvore.

Não obedeceu à Palavra de Deus, virou-lhes às costas para o Criador e teus ouvidos à criatura.

A sabedoria e o conhecimento, a grandeza e o poder e, a glória adquirida pela ciência do homem, nos afastam da Sabedoria e Conhecimento espirituais de Deus. O egoísmo, o orgulho e o poder, certamente sobe à nossa consciência e passamos a ser uma pessoa superior aos demais. Isso não seria bom!

“O conhecimento e sabedoria da ciência terrena - inteligência humana - sem o Espírito de humildade e, do Conhecimento e da Sabedoria do Criador, com certeza morreremos.

Gênesis - 2:17 - Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás.

Esta “Árvore de Conhecimento da Ciência” estava à disposição do homem, mas o Criador viu que o homem não estava preparado para aprender dela ainda, então o proibiu de se alimentar dela, por haver nela, o veneno do pecado de Lúcifer. Deus o proibiu de dar ouvido ao conhecimento desta árvore. Deus queria que o homem aprendesse tudo o que é bom para a vida terrena.

Mas o homem foi enganado e iludido pelo deslumbre das palavras distorcidas da serpente. Um anjo criatura espiritual feita pelo mesmo Criador dos homens. Seu nome; Lúcifer, diabo, Satanás, serpente, dragão etc…com grande glória, beleza e poder dentro da Casa do Altíssimo Deus, quis tomar o lugar de Deus (cobiçou) ser maior que o Criador. É assim que muitos homens são alimentados deste fruto que tem semente malígna, deixando crescer em seu interior, a má formação de uma árvore que tem fruto com o espírito de Satanás, e das palavras que sairam de sua boca, com o intuíto de matar e destruir outros com o seu veneno. A língua é uma arma mortífera que destrói as pessoas pelo espírito da cobiça, da inveja, da mentira, da difamação, do ódio, das contendas e do homicídio.

A ”Árvore da Vida” estava lá, livre para que o ser humano se alimentasse dela e adquirisse o juízo perfeito de um verdadeiro filho. Uma Vida Verdadeira com o Eterno. Cujo fruto é perfeito e tem o Espírito de Deus nele. (Isaías 11: 1)

Da fonte não pode jorrar dois tipos de água. E nem dois tipos de frutos com sementes boas e más. Pode se colher fruto bom de uma árvore má? Assim se explica que a “Árvore da Ciência do Bem e do Mal,” tipificava a natureza maligna de Satanás. Este conhecimento da ciência, somente Deus tem o domínio e o poder para vencer todo o mal da ciência terrena, e assim, Ele não desejava que o homem adquirisse este estágio sem a presença d’Ele.

Gênesis- 2:9, 16, 17; 3:1-24. No Jardim do Edem, Deus utilizou duas árvores com objetivos simbólicos: a “Árvore da Vida” e “a Árvore da Ciência do Bem e do Mal”. Não respeitar o decreto de Deus referente a esta última Árvore, teria resultado na queda do homem.

Também conhecida simplesmente como Árvore da Ciência, foi plantada, segundo o relato bíblico, no Jardim do Éden, tendo seus frutos sido proibidos ao homem por Deus. Segundo o mesmo relato, após ser interpelada pela serpente, a mulher (Eva), desobedecendo a ordem de Deus, come do fruto oferecido pela criatura, provocando o que se chama de pecado original da humanidade. (comer; no sentido: dar ouvidos à palavra de outro, aprender de outro)

Fruto: Símbolo do direito que o Criador do homem teria de especificar aos seres humanos o que é “bom” e o que é “mau”, exigindo a prática, do que é bom e a rejeição do que é mau, a fim de continuarem aprovados por Ele.

Árvore do Bem e do mau é simbólica: Lúcifer já tinha caído na terra conforme Apocalipse- 12, e com ele trouxe o mau. Deus mostrou para Adão dois caminhos, o bom e o mau. A mulher escolheu o caminho do mau e levou consigo o homem. A desobediência foi o primeiro pecado da Revelação.

Apocalipse - 2:7 -“Quem tiver ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao vencedor darei de comer (do fruto que tem o Espírito) da Árvore da Vida, que se acha no Paraíso de Deus.”

E existem outras referências simbólicas, as árvores frutíferas, de folhas curativas, mencionadas nas visões registradas em Ezequiel- 47:7, 12 e Apocalipse- 22:2, 14. No livro de Provérbios surge a expressão “árvore da vida” associada com a verdadeira sabedoria, com os frutos do justo, com a realização de uma coisa desejada, (Provérbios- 3:18 - 11:30 - 13:12 – 15: 15) e com a língua, a humanidade.

A inveja obscurece a inteligência, dá capacidade de pensar mal dos outros. Quantas vezes essa atitude gera maus pensamentos, maledicência e difamação. Quantas vezes surgem fantasmas psicológicos para justificar racionalmente. Quantas vezes podemos encher nossas mentes por suposições menos favoráveis sobre o outro… Quebrando alguma virtude…

A inveja turva o olhar – cria-se como nuvem de impureza à volta dos outros, a desconfiança pode colocar em nós uma espécie de filtros que nos fazem ler os outros.

A inveja azeda o coração – para além da descrença sobre os outros – gera tristeza sobre o bem alheio, numa desvalorização do outro em nosso favor. Quantas vezes essa tristeza germina em azedume nas palavras e no comportamento, desdenhando sobre os dons e as qualidades alheias… Até pode ser uma acusação à nossa preguiça ou incapacidade de fazer o bem.

Deus abençoe a todos!!

PR: Ilídio Reginaldo


sexta-feira, 23 de outubro de 2009

video

"A escola dos bichos"


Conta-se que vários bichos decidiram fundar uma escola. Para isso reuniram-se e começaram a escolher as disciplinas. O Pássaro insistiu para que houvesse aulas de vôo. O Esquilo achou que a subida perpendicular em árvores era fundamental. E o Coelho queria de qualquer jeito que a corrida fosse incluída. E assim foi feito, incluíram tudo, mas... cometeram um grande erro. Insistiram para que todos os bichos praticassem todos os cursos oferecidos. O Coelho foi magnífico na corrida, ninguém corria como ele. Mas queriam ensiná-lo a voar. Colocaram-no numa árvore e disseram: "Voa,Coelho". Ele saltou lá de cima e "pluft"... coitadinho! Quebrou as pernas. O Coelho não aprendeu a voar e acabou sem poder correr também. O Pássaro voava como nenhum outro, mas o obrigaram a cavar buracos como uma topeira. Quebrou o bico e as asas, e depois não conseguia voar tão bem, e nem mais cavar buracos.

SABE DE UMA COISA? Todos nós somos diferentes uns dos outros e cada um tem uma ou mais qualidades próprias. Não podemos exigir ou forçar para que as outras pessoas sejam parecidas conosco ou tenham nossas qualidades. Se assim agirmos, acabaremos fazendo com que elas sofram, e no final, elas poderão não ser o que queríamos que fossem e ainda pior, elas poderão não mais fazer o que faziam bem feito. RESPEITAR AS DIFERENÇAS É AMAR AS PESSOAS COMO ELAS SÃO: PENSA NISTO!

"A AGUIA E A GALINHA"


A fábula da águia e a galinha
Esta é uma história que vem de um pequeno país da África Ocidental, Gana, narrada por um educador popular, James Aggrey, nos inícios deste século, quando se davam os embates pela descolonização. Oxalá nos faça pensar sempre a respeito. Era uma vez um camponês que foi à floresta vizinha apanhar um pássaro, a fim de mantê-lo cativo em casa. Conseguiu pegar um filhote de águia. Colocou-o no galinheiro junto às galinhas. Cresceu como uma galinha. Depois de cinco anos, esse homem recebeu em sua casa a visita de um naturalista. Enquanto passeavam pelo jardim, disse o naturalista: Esse pássaro aí não é uma galinha. É uma águia. De fato - disse o homem - é uma águia! mas eu a criei como galinha. Ela não é mais águia. É uma galinha como as outras. Não! - retrucou o naturalista - ela é e será sempre uma águia. Este coração a fará um dia voar às alturas. Não! - insistiu o camponês - ela virou galinha e jamais voará como águia. Então decidiram fazer uma prova. O naturalista tomou a águia, ergueu-a bem alto e, desafiando-a, disse: Já que você de fato é uma águia, já que você pertence ao céu e não à terra, então abra suas asas e voe! A águia ficou sentada sobre o braço estendido do naturalista. Olhava distraidamente ao redor. Viu as galinhas lá embaixo, ciscando grãos. E pulou para junto delas. O camponês comentou: Eu lhe disse, ela virou uma simples galinha! Não! - tornou a insistir o naturalista - ela é uma águia. E uma águia sempre será uma águia. Vamos experimentar novamente amanhã. No dia seguinte, o naturalista subiu com a águia no teto da casa. Sussurrou-lhe: Águia, já que você é uma águia, abra suas asas e voe! Mas, quando a águia viu lá embaixo as galinhas ciscando o chão, pulou e foi parar junto delas. O camponês sorriu e voltou a carga: Eu havia lhe dito, ela virou galinha! Não! - respondeu firmemente o naturalista - ela é águia e possui sempre um coração de águia. Vamos experimentar ainda uma última vez. Amanhã a farei voar. No dia seguinte, o naturalista e o camponês levantaram bem cedo. Pegaram a águia, levaram-na para o alto de uma montanha. O sol estava nascendo e dourava os picos das montanhas. O naturalista ergueu a águia para o alto e ordenou-lhe: Águia, já que você é uma águia, já que você pertence ao céu e não à terra, abra suas asas e voe! A águia olhou ao redor. Tremia, como se experimentasse nova vida. Mas não voou. Então, o naturalista segurou-a firmemente, bem na direção do sol, de sorte que seus olhos pudessem se encher de claridade e ganhar as dimensões do vasto horizonte. Foi quando ela abriu suas potentes asas. Ergueu-se, soberana, sobre si mesma. E começou a voar, a voar para o alto e voar cada vez mais para o alto. Voou. E nunca mais retornou! Existem pessoas que nos fazem pensar como galinhas. E ainda até pensamos que somos efetivamente galinhas. Porém é preciso ser águia. Abrir as asas e voar. Voar como as águias. E jamais se contentar com os grãos que jogam aos pés para ciscar.

O PASTOR CHAMADO E O CHAMADO PASTOR



O pastor chamado ama gente, o chamado pastor ama dinheiro e fama.
O pastor chamado prega com paixão, o chamado pastor prega.
O pastor chamado é feliz, o chamado pastor vive mau-humorado.
O pastor chamado tem visão, o chamado pastor imita as muitas visões.
O pastor chamado cuida das ovelhas, o chamado pastor abusa das ovelhas.
O pastor chamado tem casa, o chamado pastor tem mansão.O pastor chamado liberta, o chamado pastor tiraniza.
O pastor chamado é acessível, o chamado pastor é inalcançável.
O pastor chamado prega de graça, o chamado pastor cobra para pregar.
O pastor chamado tem ovelhas, o chamado pastor tem fãs.
O pastor chamado chama para Cristo, o chamado pastor atrai para si.
O pastor chamado ensina, o chamado pastor exibi-se.
O pastor chamado erra, o chamado pastor é perfeito.
O pastor chamado tem medo, o chamado pastor mete medo.
O pastor chamado chora, o chamado pastor se vinga.
O pastor chamado é inconformado, o chamado pastor é alienado.

Não é um fardo, é meu irmão

Um missionário americano caminhava pelas ruas centrais de uma cidade chinesa. Chamou-lhe a atenção algumas crianças que carregavam outras crianças, menores, em suas costas. Ao mesmo tempo que as carregavam, brincavam e se divertiam. "Deve ser muito ruim," disse o americano, tentando ser simpático, a um pequeno menino, "ter que carregar um fardo tão pesado enquanto brinca!" "Ele não é nenhum fardo," disse rapidamente o garoto, "ele é meu irmão." "Bem, sua atitude mostra o quão nobre e cavalheiro você é!" disse o missionário, dando-lhe uma quantia em dinheiro para que comprasse algo para ele e o irmão. Ao retornar para casa, o missionário disse à sua família: "Um pequeno menino chinês me ensinou o significado mais completo das palavras: 'levai as cargas uns dos outros'" Ele contou sua conversa com o menino e acrescentou: "Se um menino chinês pode carregar e cuidar de seu irmão sem considerá-lo um fardo, nós também devíamos não considerar um fardo o transportar nossos irmãos, mais fracos e necessitados, que nos procuram buscando ajuda. Qual tem sido nossa atitude diante de um irmão ou irmã que vem a nós em busca de socorro? Temos lhe estendido a mão oferecendo o nosso melhor possível, com alegria no coração por podermos praticar os ensinos de Cristo ou ignoramos completamente o apelo, considerando aquele irmão um fardo que nos tira a liberdade de cuidar de nossas próprias coisas?

Escravos por vontade própria

Esta é a história do escravo JOE que viveu nos Estados Unidos no século passado. Após trabalhar toda a sua infância, e agora, que era um homem feito, forte e no pleno vigor de sua juventude, ele disse a si mesmo : "Jamais trabalharei para alguém novamente." Sendo assim, ele não trabalhou mais para o seu senhor, e nem debaixo de muita violência, alguém conseguia fazê-lo trabalhar. Por isto, ele foi colocado à venda no mercado da cidade. Ao chegar no mercado e ser colocado no alto de um palanque com outros escravos, ele gritava o mais alto que podia : EU NUNCA MAIS VOU TRABALHAR PARA NINGUÉM. Quanto mais pessoas chegavam para olhar e dar lances de compra, mais alto e mais forte ele gritava. Um a Um, os escravos foram sendo vendidos, com exceção do JOE, que não parava de gritar : EU NUNCA MAIS VOU TRABALHAR PARA NINGUÉM. Embora fosse o escravo mais forte e bonito, ninguém o comprava. Porém de repente, para naquela praça uma carruagem muito luxuosa, um nobre senhor desce da mesma e fitando os olhos no escravo que não parava de gritar, disse ao leiloeiro : - Homem eu quero comprar este escravo - Senhor gritou JOE, não perca seu tempo e dinheiro; EU NUNCA MAIS VOU TRABALHAR PARA NINGUÉM. Mesmo assim aquele homem sem dizer uma palavra, pagou o dinheiro que foi pedido e conduziu JOE para a sua carruagem. chegando lá ao invés de colocá-lo ammarrado e ao lado do cocheiro, pediu aos seus servos que o desamarrasem e o colocassem no interior da carruagem ao seu lado. Mesmo espantado e perplexo com tal demonstração, JOE percorreu todo o caminho até a propriedade daquele homem, repretindo sua decisão : EU NUNCA MAIS VOU TRABALHAR PARA NINGUÉM. Porém seu senhor não dizia nenhuma palavra e isto o deixava impressionado. A certa altura do caminho, já dentro das terras do seu senhor, a carruagem parou, aquele homem desceu e ordenou a JOE que descesse também. ele mais uma vez repetia : EU NUNCA MAIS VOU TRABALHAR PARA NINGUÉM. Estavam agora diante de uma casa simples mas muito bonita, com uma plantação ao lado, um riacho ao fundo e uma grande árvore frondosa e de frutos deliciosos à frente. o senhor disse: - Está vendo esta casa JOE ? - Estou. Respondeu ele e continuou, - É muito bonita, mas se o senhor acha que vou cultivar esta terra para o senhor, colher seus frutos para a sua mesa e manter a casa limpa para as suas visitas, não se engane porque como lhe disse da cidade até aqui EU NUNCA MAIS VOU TRABALHAR PARA NINGUÉM. - Não JOE, eu não quero que você trabalhe para mim ! Esta casa e esta terra são suas ! Eu não o comprei para me servir, eu o comprei para te libertar ! Você agora é um homem livre e não precisa mais trabalhar para nimguém ! Entre lágrimas e muita emoção JOE se atira aos pés de seu senhor e lhe diz não agora gritando, mas com sua voz embargada : - OH MEU SENHOR, ENQUANTO EU VIVER EU QUERO TRABALHAR PARA VOCÊ E TE SERVIR ! Hoje nós também somos assim ! gritamos para Cristo que não iremos mais servir a ninguém ! mas Cristo nos mostra sua feridas e cicatrizes e nos mostra com amor nossa casa debaixo de uma árvore ao lado do rio da vida. Então quando percebemos que na verdade o que ele quer não é servidão e sim amor, nos jogamos aos seus pés e como JOE pedimos para servi-lo por toda a nossa vida. Aí sim, nos tornamos ESCRAVOS POR VONTADE PRÓPRIA ! Pense nisto.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

BOM CHEIRO OU MAU CHEIRO?


QUAL O CHEIRO DE SUA CASA?
Você se lembra de ter passado perto de alguma casa que cheirava a bife frito ou a frango assado? Esse é um cheiro fácil de sentir, principalmente se estamos com fome.
Você já entrou em alguma casa que cheirava a chiqueiro de porco? Chega a embrulhar o estômago de quem não está acostumado...
E por falar em cheiro, o texto de João 12.3 diz que, quando Maria ungiu os pés de Jesus, com uma libra de bálsamo de nardo puro, um perfume especial, "encheu-se toda a casa com o perfume do bálsamo". Faço, então, uma pergunta: Qual é o cheiro de minha casa? E da sua casa?
Procurando na própria Bíblia, os "perfumes", os "cheiros" (além de o da "mosca morta") de Eclesiastes 10.1, cinco deles nos ajudam a fazer uma análise do nosso lar.
1º CHEIRO: DE CONFUSÃO - Em Gn. 27, encontramos a casa de Isaque e Rebeca em dia de confusão. Rebeca e seu filho Jacó se uniram para enganar o velho pai, Isaque, que enxergava pouco. Jacó se fantasiou de Esaú seu irmão, e quando se aproximou, o pai lhe tocou e se enganou: disse que a voz era de Jacó mesmo, mas o cheiro era o de Esaú; era o cheiro do campo. Este texto retrata o cheiro da mentira dentro de casa, entre marido, esposa e filhos. Fala sobre o cheiro na parcialidade na educação dos filhos: o pai defendendo um e a mãe o outro. Este texto nos mostra um lar dividido, quem sabe, à semelhança do seu lar, cheio de confusão – um lutando contra o outro dentro da própria família.
2° CHEIRO: DE IMORALIDADE - Em Pv. 7.17-19 lemos "já perfumei o meu leito com mirra... vem, embriaguemo-nos com as delícias do amor... porque o meu marido não está em casa, saiu de viagem para longe." Este é o convite da mulher adúltera ao amante. Ela perfumou sua casa para trair o marido. Este é o cheiro da infidelidade conjugal, do sexo usado antes, ou fora do casamento. Apesar de ser tratado de modo geral, pela mídia, como natural, moderno, e até mesmo como inevitável, o mesmo texto chama este cheiro de "morte" (vs. 22, 23, 26 e 27).
3° CHEIRO: DE MORTE - Outro cheiro que sinto na Bíblia, está em João 11, na morte de Lázaro. Depois de 4 dias no túmulo, sua irmã afirma: "já cheira mal, porque já é de quatro dias". Há famílias que ainda lutam para se manterem estruturadas, pelo menos na aparência; porém não são poucas as que já se desfizeram, já desmoronaram, já estão sepultadas existencialmente. Os sonhos, ideais, relacionamentos, já morreram...
4° CHEIRO: DE DOR - Visitando a casa de Jó, vemos que todas as aflições pela qual passou não deixaram, também de exalar um cheiro, o cheiro de sua dor "... e pelo mau cheiro sou repugnante aos filhos de minha mãe" (Jó 19.17). Quem conhece a história de Jó sabe que ele não havia procurado estes problemas: a dor pela perda dos filhos, dos bens, e da saúde, tampouco estes problemas aconteceram como castigo de Deus. Ele enfrentou esta fase, com firmeza e fé, fiel a Deus, e saiu vitorioso. Sua família cheira a dor? Busque e espere no Senhor.
5° CHEIRO: DE CRISTO - Em 2 Co 2.15, Paulo afirma que "somos para com Deus o bom perfume de Cristo". Será este o cheiro de nosso lar? O cheiro da presença de Jesus através do nosso testemunho: o perdão, a moderação, a humildade, a mansidão, o domínio próprio, etc? Nossa vida no lar, de comunhão com Deus, de oração, leitura da Bíblia, de adoração, tem exalado este perfume? O perfume de Cristo supera ao cheiro da morte, da dor, da imoralidade e da confusão. Aleluia!
Conclusão: Passar perfume sem tomar banho não é a mesma coisa que passá-lo depois do banho. Voltando ao nosso texto inicial, a mulher derramou um perfume em Jesus, quebrando o alabastro (Mc. 14.3). Da mesma forma, para se ter o perfume de Cristo, é preciso quebrar a velha natureza, os pecados, o egoísmo, o orgulho; e se esforçar por uma nova vida, uma vida pura diante do Senhor. Precisamos do "lavar regenerador e renovador do Espírito Santo". Leia Tito 3. 3-8.

SINDROME DA ABSTINÊNCIA DO PECADO



A síndrome ocorre na vida conjugal, quando um dos cônjuges - ou os dois - não se conforma em viver uma vida a dois, até que a morte os separe. Hoje em dia, quando um casal completa dez anos de vida em comum passa a dar entrevistas na televisão. Querem saber o que está acontecendo de errado. Assemelha-se a um homem que encontra num táxi uma vultosa quantia e a devolve ao seu legítimo dono. Vira herói. Pode ocorrer que o homem em abstinência, compelido a fazer sexo apenas com sua esposa, passou anos e anos mudando de mulher como quem muda de camisa; vivendo em aventuras, em "loucas madrugadas", como bem falou Nelson Ned. Na vida de solteiro, sexo se tornara uma boa aventura. Agora, encontra dificuldade de manter-se fiel. Assim, não se dá bem no comedimento de um lar, na mesmice de um relacionamento a dois. O homem ou a mulher envolvido por essa síndrome torna-se um adúltero em potencial. Aguardará somente o momento para pôr em prática seu desejo. Os viciados em droga conhecem muito bem isso. Não é outra coisa o que está acontecendo com o craque Maradona, infelizmente. A abstinência da droga causa um transtorno físico difícil de ser mensurado. Só quem está passando ou já passou por tal situação é que pode definir melhor. Na questão do sexo, o homem sente a falta de uma vida em promiscuidade. Sente saudade das noitadas, dos embalos, das escapadas aos motéis, dos momentos de sensualidade plena. Assim como acontece com os viciados em fumo, álcool e outros tipos de droga, o marido ou a mulher sente a abstinência da prática livre do sexo. Começam, então, os adultérios, as traições, as mentiras, e tudo descamba em instabilidade na família, depressão, problemas de consciência, indiferença no trato conjugal. No começo, os adúlteros sentem um pouco de remorso ou arrependimento, mas continuam. Depois, com a mente cauterizada e coração endurecido, reavaliam a situação e passam a considerar que tudo é normal. O errado passa a ser certo. O que era uma prática eventual, passou a ser uma atividade contínua. A síndrome de abstinência também ocorre com outros tipos de pecado. O pecado vicia e escraviza. Não são poucos os que se encontram amarrados em algemas invisíveis, sem forças para reagir. Nesse estágio, vale lembrar que Jesus liberta:

“Se o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres” (Jo 8.36).
Autor: Pr Ilidio Reginaldo da Costa

FORNICAÇÃO: NEGOCIANDO O CORPO


Os estudantes dos dias de hoje têm, em muitos momentos, desprezado os significados das raízes de palavras bíblicas com o aviso de que estas idéias nunca se passaram pela cabeça dos cristãos do primeiro século. Eles nos dizem, por exemplo, que os discípulos primitivos jamais associaram a idéia de “chamados” com a palavra ekklesia (igreja), quando os apóstolos usaram este termo para denotar o povo de Deus. Eles pensavam em um “grupo”, “congregação” ou “assembléia”. O mesmo, dizem eles, pode ser dito da palavra “parábola” (“colocado ao lado de”) – uma narrativa de um evento da vida colocado ao lado de uma idéia ou verdade espiritual. Meramente pensavam em uma “ilustração” ou estória “desenhada”. Então, estou confiante, pode também dizer que não pensaram automaticamente nas origens de palavras traduzidas como “sinagoga” (“trazer”+”juntos”), despenseiro ("casa" + "lei"), "apóstolo" ("de" + "um enviado"), etc.
Até certo ponto podemos concordar com essas observações, mas precisamos acrescentar um aviso: aqueles que negligenciam o estudo das origens das palavras assim o fazem para seu próprio detrimento como estudantes da Bíblia. Estão roubando de si mesmas imagens e ilustrações que aumentam a compreensão destes conceitos bíblicos básicos. Aqueles que nos lembram que ekklesia nunca criou uma imagem de “chamados” nas mentes dos discípulos são rápidos em apontar nas Escrituras que a igreja consiste daqueles que foram “das trevas para a sua [de Deus] maravilhosa luz” (veja 1 Pedro 2:9-10). O conhecimento da origem de uma palavra e das utilizações antigas fornece aos evangelistas e professores materiais básicos com os quais podem trazer os estudantes da Bíblia de volta à essência da igreja do Senhor. E é assim com muitas outras palavras.
Uma verdade importante, por exemplo, está inculcada nas mentes dos nossos jovens na idéia original da palavra “fornicação”. O seu significado, neste caso, é mais que uma ilustração; é a base para a compreensão da natureza essencial deste pecado. Os termos “prostituta”, “fornicação”, “fornicar” e “fornicador” todos vêm de uma palavra que significava “vender” e é a base da palavra em português “pornografia”. Compreendemos a relação destas palavras a “prostituta”– uma pessoa que vende o seu corpo, um que negocia o corpo por dinheiro.
Sim, sabemos que as imagens de “negociar” ou “transação” de negócios nunca passou pela cabeça dos cristãos quando ouviram a palavra porneia ("fornicação"). Eles, certamente, pensaram em “imoralidade sexual” e imaginaram homens e mulheres unindo seus corpos sexualmente em relações fora do casamento. E eles, pela palavra em si, nunca pensaram em pessoas tendo relações sexuais por dinheiro. Tudo isso é claro. Mas o que não foi visto, ao negligenciar o significado da raiz da palavra, é que a fornicação é essencialmente uma venda do corpo; é uma negociação ou transação feita entre uma ou mais pessoas.
Para compreender isso, devemos pensar no plano original de Deus para o casamento. A mulher foi feita para o homem, e o seu corpo foi feito para se juntar ao dele para popular a terra e fornecer prazer físico e pessoal. Mas aquele relacionamento só poderia ser aproveitado como uma bênção e privilégio no casamento – depois que os dois tivessem decidido a “tornarem uma só carne” até a morte (Gênesis 2:24; Romanos 7:1-3; 1 Coríntios 7:39). Deus revela assim que o casamento é digno de honra e a cama ou a união de dois corpos é pura no santo matrimônio. O casamento não era um compromisso com o “corpo”, mas com a “pessoa inteira” – para toda a vida, inclusive em épocas de doença, pobreza, tristeza, como também em épocas de prosperidade, prazer e felicidade. A “fornicação”, a união dos corpos na ausência de um compromisso “pessoal” para sempre, é condenada por Deus, e ele julgará aqueles que a praticam (veja Hebreus 13:4). Tais pessoas, diz ele, não herdarão o reino de Deus (veja Gálatas 5:19-21; 1 Coríntios 6:9-10).
Portanto, o apóstolo Paulo lembra os cristãos que os seus corpos devem ser santuários do Espírito Santo – que não pertencem a eles. O corpo, portanto, não é para a prostituição, mas para o Senhor (veja 1 Coríntios 6:12-20). O que é, então, a “fornicação”, além da imoralidade sexual – a sua violação dos princípios morais e eternos de Deus? É, também, um “acordo” entre duas pessoas que envolve vender o corpo; não obviamente, nem necessariamente por dinheiro, mas por outras comodidades. Quando é vendido por dinheiro é chamado de “prostituição”, mas para outras coisas é julgada por muitos como inocente.
Por que os jovens, ou pessoas de qualquer idade, unem os seus corpos fora do casamento e fora de um compromisso à “pessoa” – corpo e alma – para sempre? Uma jovem oferece o seu corpo para um jovem como um negócio: para que ela possa ir a uma festa com um rapaz popular, para que ela possa se divertir ou ter prazer, que ele possa viver com ela e dividir o aluguel, para que ele possa comprar presentes para ela e levá-la a restaurantes chiques, para que ele possa deixá-la dirigir o seu carro esportivo, para que ele possa gostar dela e ser o seu namorado. O mesmo, para estas e talvez para outras razões, faz com que um jovem cometa fornicação com uma moça. Nenhum dos dois une o seu corpo a outro fora do casamento num vazio ou numa situação neutra. Há sempre na mente de um ou dos dois um acordo, uma transação, uma negociação do corpo.
Deus nunca planejou homens ou mulheres para venderem os seus corpos. Deus criou o homem para amar a sua esposa como o seu próprio corpo, exaltá-la e as suas necessidades acima de si mesmo, e “grudar nela como cola” (“unir-se” a ela). Ele planejou a mulher para mostrar afeição a seu marido, respeitá-lo, reverenciá-lo, e se submeter a ele e às suas necessidades (veja Efésios 5:22-33). Quando estão dispostos a se entregarem um ao outro – não usar ou negociar um ao outro pelos seus corpos – então podem se unir como uma só carne, um privilégio e um selo do seu comprometimento para toda a vida.
Qualquer outra coisa é meramente negociar os seus corpos para favores temporais; “prostituição”, como o Senhor chama. E disso, os cristãos devem “fugir”, como fez José, para que não cometam “tamanha maldade” e pecar contra Deus (veja Gênesis 39:9; 1 Coríntios 6:18).

terça-feira, 29 de setembro de 2009

"MIOLO DE PÃO"

Um casal tomava café no dia das suas bodas de ouro. A mulher passou a manteiga na casca do pão e deu para o seu marido, ficando com o miolo.
Pensou ela: - Sempre quis comer a melhor parte do pão, mas amo demais meumarido e, por 50 anos, sempre lhe dei o miolo. Mas hoje quis satisfazer omeu desejo".
Para sua imediata surpresa o rosto do marido abriu-se num sorriso sem fim e ele lhe disse:- Muito obrigado por este presente, meu aamor. Durante 50 anos, sempre quis comer a casca do pão, mas como você sempre gostou tanto dela, eu jamais ousei pedir !
Assim é a vida... Muitas vezes nosso julgamento sobre a felicidade alheia pode ser responsável pela nossa infelicidade... Diálogo, franqueza, com delicadeza sempre, são o melhor remédio.

"O CARRO"


Era uma vez um rapaz que ia muito mal na escola. Suas notas e seu comportamento eram decepção para seus pais que sonhavam vê-lo formado e bem sucedido. Um belo dia o bom pai propôs um acordo, dizendo-llhe: "Se você meu filho mudar o comportamento, se dedicar aos estudos e conseguir ser aprovado no vestibular para a faculdade de medicina lhe darei um carro de presente."!
Por causa do carro o rapaz mudou da água para o vimho: passou a estudar como nunca e a ter um comportamento exemplar, o pai estava feliz mais tinha uma preocupação: sabia que a mudança do rapaz não era fruto de uma conversão síncera, mais apenas do interesse de obter o automóvel isso era mal.
O rapaz seguia os estudos e aguardava o resultado dos seus esforços. Assim o grande dia chegou: o rapaz foi aprovado para o vestibular de medicina. Como prometido o pai convidou os amigos e a família para festa de comemoração. O rapaz tinha por certo que na festa o pai lhe daria o automóvel.
Quando pediu a palavra o pai elogiou o filho e lhe passou as mãos uma caixa de presente. Acreditando que estavam ali as chaves do carro ele abriu emocionado o pacote. Para sua surpresa o presente era uma bíblia. Ele ficou visivelmente decepcionado e nada disse, simplesmente colocou a bíblia numa estante da sua casa.
A partir daquele dia o silêncio e a distancia separavam pai e filho. O jovem se sentia traido e agora lutava para ser independente. Deixou a casa dos pais e foi morar no Campus da universidade. Raramente mandava notícias, o tempo passou ele se formou, conseguiu um bom emprego em um hospital e se tornou um médico conceituado. Porém se esqueceu completamente dos pais. Todas as alternativas do pai para reaterem foi em vão. Até que um dia, o velho muito triste com situação adoeçeu e não resistiu: faleceu.
No enterro , a mãe entregou ao filho indiferente, a bíblia que tinha sido o ultimo presente do pai, anos atrás, quando ele passou no vestibular. Essa bíblia passou anos na estante dos pais esperando que ele fosse buscá-la.
De volta a sua casa, o rapaz que nunca perdoara o pai, quando colocou a bíblia em cima de um móvel, notou que havia um envelope dentro dela. Ao abri-lo, encontrou uma carta e um cheque em branco, assinado pelo seu pai datado do dia do resultado do vestibular em que fora aprovado. A carta dizia:"Filho querido, sei quanto deseja ter um carro. Eu promrti e aqui está o cheque para você. Escolha aquele que mais lhe agradar. No entanto fiz questão de lhe dar um presente ainda maior: a bíblia sagrada. Nela aprenderás o amor a Deus e a fazer o bem não pelo prazer da recompensa, mas pela gratidão e pelo dever da consciência."orroido de remorso o filho caiu em profundo pranto.
MORAL DA HISTORIA
Como é triste a vida dos que não sabem perdoar. Isso leva a erros terriveis e a um fim ainda pior. Antes que seja tarde, perdoe aquele que você pensa ter feito o mal.
Não somos responsavéis apenas pelo que fazemos, mas também pelo que deixamos de fazer.

O QUE IMPORTA NESTA VIDA.


´Há alguns anos atrás,nas Olimpíadas Especiais de Seattle, nove participantes,todos com deficiência mental ou física,alinharam-se para a largada da corrida dos cem metros rasos. Ao sinal todos partiram,não exatamente em disparada, mais com vontade de dar o melhor de si, terminar a corrida e ganhar. Todos com exceção de um garoto, que tropeçou no asfalto, caiu rolando e começou a chorar. Os outors oito ouviram o choro. Diminuiram o passo e olharam para trás. Então eles viraram e voltaram. Todos eles. Uma das meninas com Síndrome de Down, ajoelhou, deu um beijo no garoto e disse: "Pronto, agora vai sarar". E todos os noves competidores deram os braços e andaram juntos até a linha de chegada. O estádio inteiro levantou e os aplausos duraram muitos minutos. E as pessoas que estavam alí naquele dia,continuam repetindo essa história até hoje. Por que lá no fundo, nós sabemos que o que importa na vida é mais do que ganhar sozinho. O que importa nessa vida é ajudar os outros a vencer , mesmo que isso siguinifique diminuir o passo e mudar de curso.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Jovem que chora lágrimas de sangue intriga cientistas

Calvino Imman mora em região muito religiosa dos EUA.
Na escola, colegas dizem que está possuído; para vizinhos, ele é um anjo.
Do G1, com informações do Fantástico
Na parte mais religiosa dos Estados Unidos, no estado do Tennessee, vive num vilarejo um adolescente que chora lágrimas de sangue. Na escola do bairro, começaram a dizer que Calvino Imman estava possuído, acharam que era algum tipo de força sobrenatural.

"Eles falam que isso é coisa de espíritos maus, começaram a me chamar de filho do diabo", diz o garoto com tristeza, um adolescente muito simpático, e extremamente bem-humorado.

Desde maio, ele já não sai de casa sozinho, muitas vezes volta mais cedo da escola e não dorme direito. A mãe conta que não dá pra descansar sabendo que, de repente, o filho aparece com os olhos cheios de lágrimas que não são de tristeza.

São imagens fortes. Ele próprio ainda olha estarrecido pra foto que aparece, assustadora, na televisão da sala. A mãe diz que registra tudo pra ver se com uma ajuda da ciência consegue a cura pro inexplicável.

No Instituto de Oftalmologia da Universidade do Tennessee, em Memphis, dois pesquisadores ficaram perplexos. "Estamos frustrados porque é obvio que aquele sangue esta vindo de algum lugar e nós não conseguimos descobrir", admite o doutor Barret Haik.

Ele e o professor James Fleming já descartaram todas as nove hipóteses descritas na literatura científica. Sabem que Calvino não teve traumas, não tem tumores, nenhum tipo de hemorragia hereditária, nem qualquer rompimento de vasos.

Os médicos dizem que em quase 50 anos souberam de quatro casos raros como esse. E se existe algum conforto é que, em todos, o sangramento parou sozinho, depois de meses ou anos.

Eles acreditam que a resposta está escondida em algum lugar no cérebro de Calvino. Mas para encontrá-la, teriam que fazer uma complicada e perigosa cirurgia.

Por enquanto, eles sabem que o sangue passa por uma glândula que fica na altura da sobrancelha, se mistura com as lágrimas e desce até o olho. E, assim como numa crise de choro, às vezes a lágrima de sangue acaba escorrendo também pelo nariz.

Desde que o fenômeno começou, há cerca de quatro meses, os sangramentos só não aconteceram em dois dias. A equipe do Fantástico ficou com o Calvino mais ou menos quatro horas, de repente ele começou a sentir alguma coisa nos olhos, foi ao banheiro e quanto voltou o sangramento tinha começado.

"Senti meus olhos ficando molhados e fui ver no espelho se era mesmo o sangramento", diz o adolescente.

Depois de mais de cem dias de angústia, o medo da morte diminui. Normalmente o sangramento para depois de algumas horas. E entre os vizinhos circula agora um novo tipo de comentário. "As pessoas estão dizendo que eu sou um anjo, que eu tenho o poder de curar", conta Calvino.

A lenda apareceu na Idade Média. Há mais de 800 anos, escritores europeus começaram a contar que Maria, a mãe de Jesus Cristo, teria chorado lágrimas de sangue ao ver o filho morto na cruz.

Até o cientista lembrou que muita gente acha que esse tipo de sangramento é uma bênção de Deus. O religioso doutor Haik diz que Deus desenhou criaturas tão extraordinárias que provavelmente jamais poderemos entendê-las por completo.




quinta-feira, 17 de setembro de 2009

CRIANÇA DE 1 ANO GRAVIDA NA CHINA.


Segundo o jornal britânico The Sun, médicos da China ficaram perplexos após constatarem que uma criança de um ano está grávida.
A pequena Kang Mengru foi levada a um hospital depois de chamar muita atenção por onde passava, por causa de sua barriga que não parava de crescer.
Chegando ao local, os médicos constataram o crescimento de um feto na barriga do bebê, um caso muito raro de um gêmeo parasita.
Apenas 100 casos como o de Kang foram documentados no mundo todo até hoje. A menina agora aguarda uma cirurgia para a remoção do feto.
postado por FAGNER C VASCONCELOS
Fonte: SRZD

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

O QUE UM CASAL PODE FAZER NA CAMA?

Queridos irmãos,

Recebi uma carta sobre as questões da sexualidade do casal que creio deve povoar a cabeça de muitos quando lêem a série de resposta de cartas “O que um casal pode fazer...”. Esta carta fala muito do pensamento de grande parte das pessoas que foram criados espiritualmente em um ambiente de castração e culpa que permeia nossa cultura cristã.

Longe de querer condenar o autor da carta, publico-a para a edificação de todos, pois creio que será instrumento para libertar a muitos dos jugos a que somos impostos e ajudar todos nós a refletirmos sobre até que ponto podemos errar coando mosquitos e engolindo camelos.

Devido ao tom agressivo da carta, censurei alguns trechos que julguei que pudessem chocar os irmãos.

Espero que você leia em espírito de oração e que saiba discernir o que é vontade de Deus para o casal, e que esta vontade é muito diferente de libertinagem.

Que o Senhor use este texto, que transcrevo abaixo, para a sua edificação,


PR: ILIDIO REGINALDO
........................................................................................................................................
Carta:

Querido irmão,
Sinto discordar do aconselhamento dado que a questão sexual pode ser resolvida pelo casal entre duas paredes. Há um Senhor lá em cima que fala sobre o leito sem mácula. Entendo que a anatomia que Deus fez é para que o homem que foi feito . Isso é Sodomia. Com relação ao XXXX, é perversão pura, pois . O que o irmão acha de ? Deus aprova isso? Claro que não. O lugar da semente é na XXXX. Faça-me o favor!!!

Há muita perversão nas respostas dadas sobre o aconselhamento sexual de casais. A Bíblia fala sobre veneração do matrimônio e leito sem mácula. XXXX é Sodomia, não é? , agrada a Deus? Isso não é impureza? Acho que sim, porque esses órgãos tem XXXX em decomposição. Estamos mesmo no final dos tempos. Nem mais os ministros do Senhor tem mais temor. Deus nos guarde!!!

.........................................................................................................................................
Resposta:

Querido irmão,

Seja muito bem-vindo ao Fruto do Espírito. Que o Senhor nos faça fonte de bênçãos em sua vida.
Quanto a seus comentários, gostaria de dizer que não faço apologia a nenhuma prática. O que cabe a mim conforme o que recebi do Senhor é pregar aquilo que a Palavra diz. No caso de homem e mulher casados a Palavra diz, conforme 1 Coríntios 7:4, que o corpo de um pertence ao outro. É isto que a Palavra do Senhor fala sobre relacionamento íntimo de pessoas casadas. Leito sem mácula fala de adultério e fornicação, não de posições sexuais ou de áreas sexuais lícitas ou ilícitas como o irmão quer fazer parecer.
Eu não posso perverter a Palavra a meu gosto, não posso me curvar a discursos que não são segundo a Palavra, mas segundo tradições humanas.

Esta questão só poder ser respondida pela Palavra. E Ela é muito clara a este respeito:

No livro de Cantares o esposo fala para sua esposa amada: “sejam teus seios como cachos de uva” (Ct 7:8). Segundo a ótica deste discurso católico medieval, que o irmão defende sem sequer saber, os seios foram feitos para amamentar e a uva é uma fruta que comemos de forma bem particular, o que tem uma coisa a ver com a outra? Um esposo pode ou não pode tocar os seios de sua esposa como se fossem cachos de uva?

Ainda no livro de Cantares, veja o que o esposo diz a respeito de uma outra região da anatomia: “O teu umbigo é uma taça redonda onde não falta vinho” (Ct 7:2). Umbigo é cicatriz do cordão umbilical que serve para alimentar o feto e não tem nenhuma outra função reprodutiva. Que história é essa de vinho no umbigo? E a Bíblia fala disso por entender que para o esposo que ama a sua esposa até mesmo o umbigo é lugar digno.

Meu irmão, o tom de sua carta foi desrespeitoso e injusto. Não defendo absolutamente que um homem faça isso ou aquilo com sua esposa. Em tudo há um limite.
Quero deixar absolutamente claro que não advogo nem faço apologia de nenhuma prática. Não defendo nenhum comportamento. O que digo é que, segundo a Palavra, em um casamento o corpo de um pertence ao outro, este é o princípio bíblico. Cada um deve agir conforme o que discerne e conforme sua própria consciência e aquilo que recebeu de Deus e não de tradições de homens. Quem se sente incomodado, com qualquer pratica, não deve fazê-la, e quem tem seu parceiro incomodado com qualquer pratica, não deve forçá-lo, nem se tornar inconveniente com suas insistências. O que sair disso é desrespeito.

Fazer qualquer ato forçado ou forçar qualquer ato, ou mesmo insistir para convencer é em si só perversão, e é condenável.
Muitas, talvez a maioria, das mulheres não sentem prazer algum em determinadas praticas e o fazem unicamente por conta das insistências de seus maridos. Cedem para não perder seu casamento ou unicamente para agradá-lo, pois a mulher que ama é capaz de muitas auto-mutilações por conta deste amor. Estas mulheres se "desligam" na hora do ato. Isto é estupro, de ordem psicológica, mas ainda assim estupro.

Homens verdadeiramente cristãos não devem abusar disso para seu próprio deleite. Isto não é cristão, é perversão da graça que pressupõe amar ao próximo como a si mesmo.
Quando se faz coisas desrespeitosas com o próximo isto é pecado e isto nada tem a ver com posições sexuais. Mesmo o sexo direto que você defende pode ser agressivo e não ter nada de amor ao próximo. Aliás, para a mulher, o homem que não respeita a sensibilidade e o tempo do seu corpo está desrespeitando-a. Ir direto aos “finalmentes”, como você defende, pode ser uma tremenda agressão, falta de amor, em sua visão do corpo como mero depósito de sementes, e ser pecado.
O tom de sua carta e a descrição explícita de práticas sexuais com a agressividade com que foram escritas demonstram que você quer julgar os outros, mas a si mesmo não se julga. Eu costumo ler os e-mails que recebo junto com minha esposa e graças a Deus ela não estava comigo para ler descrições de sexo explícito escritas por um crente que diz que condena estas praticas, mas não se constrange em expressá-las com precisão de um diretor de filme pornô.

Não vou parar nem vou deixar de pregar a Palavra e nada mais que a Palavra. Não vou ficar fazendo concessão a tradições e ensinos de homens apenas por que têm aparência de sabedoria, de falsa humildade, e de rigor ascético, mas que não têm nenhum valor contra a sensualidade como diz Paulo em Colossenses 2:23 que eu recomendo que o irmão leia e releia até o Espírito lhe trazer iluminação e o libertar dos grilhões de tradições e deste evangelho cheio de jugo e que só conhece a critica e a condenação. Aproveite e leia o capítulo 7 do Cântico dos Cânticos, a Palavra liberta.

Aqui há um pastor de verdade e que se orgulha de ser pastor levantado pelo Senhor. Tenho dignidade, e aquilo que escrevo aqui não é fruto de tradições humanas, nem de desejo de mercadejar a Palavra. Antes é fruto de muito estudo, muito joelho no chão, clamor, choro e boca no pó buscando a face Dele, para ser instrumento Dele para libertar o Seu povo dos judaizantes que têm prazer em impo jugos.

Tenho pago o preço. O meu leito conjugal é imaculado pela misericórdia e graça de Deus. E digo isto de peito aberto e de cabeça erguida, ante os homens, os anjos e os demônios, não por mérito meu, mas por conta Daquele que é fiel para nos purificar de toda iniqüidade e nos restaurar em santidade pelo Seu amor.

Tenho autoridade espiritual para dizer o que digo porque fui levantado e trazido aqui não por vontade de homens, mas por conta Daquele que me amou e aprouve a Ele fazer deste monte de pó e cinza, este homem cheio de falhas e contradições, que sou eu, um pastor. E me deu a honra de apascentar o Seu povo. Sei do peso que cai sobre mim, sei da minha responsabilidade como atalaia de Deus. Tenho temor e tremor, pois sei que darei conta daqueles que Ele me tem confiado, e é exatamente por saber disso que não escrevo nada além do que diz a Palavra.
Leia e releia este texto e veja com seus próprios olhos se tudo o que disse não está firmemente fincado na Palavra. O Espírito Santo vai lhe dar discernimento.

Se você deseja buscar a Verdade, seja muito bem-vindo ao Fruto do Espírito. O Evangelho sem Máscaras.

Escreva-me sempre que desejar,
Um forte abraço

PR: ILIDIO REGINALDO

sábado, 12 de setembro de 2009

CIENTISTAS ESTUDAM AGUIA GIGANTE QUE PODIA COMER HUMANOS


O estudo minucioso de fósseis permitiu solucionar o mistério sobre a natureza da gigantesca águia de Haast, extinta há 500 anos, disseram pesquisadores nesta sexta-feira. Os especialistas informaram ter determinado que a enorme ave - que vivia nas montanhas da Nova Zelândia e pesava cerca de 18 kg - era um predador e não um simples comedor de animais mortos como supunham muitos cientistas.
De acordo com os pesquisadores, a ave gigante, maior que as águias modernas, descia ao solo para atacar aves que não voavam e ocasionalmente algum ser humano. Ken Ashwell, da Universidade de Nova Gales, na Austrália, e Paul Scofield, do Museu Canterbury, na Nova Zelândia, escreveram suas conclusões no Journal of Vertebrate Paleontology.
Scofield disse que os achados coincidem com o folclore da região. "A ciência apoia a mitologia maorí do lendário pouakai (ou hokioi), um enorme pássaro que podia atacar as pessoas nas montanhas e que era capaz de matar uma criança pequena", contou.
Os estudiosos realizaram uma tomografia computadorizada de crânios e uma pelve da espécie antiga para tentar reconstruir o tamanho do cérebro, olhos, orelhas e espinha dorsal. Depois, compararam os dados com as características das aves predadoras e carniceiras modernas para determinar a possível alimentação da águia gigante.
Segundo os pesquisadores, a águia de Haast evoluiu rapidamente de um antepassado muito menor, além do corpo ter crescido mais rápido do que o cérebro. Os cientistas acreditam que a ave se extinguiu há 500 anos devido à destruição do seu habitat e à extinção de suas presas pelos primeiros habitantes humanos polinésios. Antes do homem colonizar a Nova Zelândia, há 750 anos, as maiores populações na região eram da águia de Haast e do moa.
Terra Chile

domingo, 6 de setembro de 2009

casais separados.


Por que os casais se separam? O que acontece para que o casamento acabe? Um dia eles se conheceram o coração bateu mais forte, fizeram promessas, se casaram e numa determinada época se separam e vai cada um para seu lado.Para falar de separação é interessante entender por que eles se casam. Na nossa cultura somos educados para o casamento. Em uma determinada idade a sociedade cobra que você se case, nesse momento você procura a pessoa que melhor se encaixe nos seus padrões e preferências para se casar. Geralmente vamos pela aparência, ou seja, o comportamento aparente. Depositamos no outro aquilo que queremos para nós, com o tempo passamos a conhecer a pessoa como realmente ela é, porque a fase do namoro não permite ver os defeitos. Passado essa fase, vem a rotina do dia a dia, começam a surgir os problemas, acontece a intolerância e a não aceitação dos defeitos um do outro.A confiança no outro é um fator a ser considerado; enquanto ser humano somos tomados de um sentimento de posse em relação aquilo que achamos que é nosso, dizemos: “meu filho”, “meu marido”, “minha esposa”, e com isso queremos que essas pessoas se comportem exatamente como nós esperamos, só que elas têm personalidade própria, são outros seres humanos. Temos uma expectativa muito grande em relação ao comportamento, por exemplo: “Você não chegou no horário!” (mas no horário que eu esperava, e os problemas dele eu desconsidero?) A individualidade deve ser preservada, podemos nos considerar “uma só carne” após o casamento, porém com personalidade própria e ímpar.A individualidade deve ser preservada em cada detalhe. A sua hora de banho, de dormir, de comer e até o momento em que deseja ficar a sós consigo mesmo. Muitas vezes fazemos coisas que não queremos somente para agradar o outro, mas essa prática constante tende a saturar o relacionamento, você deixa de ser autêntico e passa a viver em função do outro. Muitas vezes o dormir em cama ou quartos separados passa a ser uma necessidade, se um ronca e o outro não, um gosta de ar condicionado e o outro não... detalhes que passam despercebidos mas que com o tempo vão se acumulando e acabam por detonar brigas intensas por motivos que são desconhecidos do casal, só sabem que brigam.As limitações da individualidade estão presentes no simples ato de impedir que o marido pratique seu esporte preferido ou que a esposa visite as amigas ou vá passear no shopping. As proibições contribuem para a perda da individualidade. A relação deve ser ponderada, usando o bom senso para não expor o outro a situações constrangedoras, deve-se sair com os amigos, conhecer novas pessoas, estudar, trabalhar, para quando estiverem juntos terem o que trocar um com outro além de lamentações da vida cotidiana.A vida sexual tem fator decisivo na estabilidade do casal, principalmente se na fase do namoro o comportamento era diferente do apresentado após o casamento. No namoro há uma tendência da atividade sexual ser mais quente e constante e com a vida conjugal isso tende a esfriar. A mulher se constrange, muitas vezes acreditando que deve ter uma postura mais séria, se engorda um pouco inibe-se frente ao parceiro. O homem por sua vez perde parte de seu romantismo, deixando de lado o jogo da conquista, se descuida da barba por fazer, da limpeza do carro para o passeio de fim de semana, como se não precisasse mais conquistar, “já é meu”. Com o nascimento dos filhos a tendência é a situação se agravar, a mulher se torna mãe e suas atribuições no casamento aumentam, mas a freqüência não é tudo, não podemos perder de vista a qualidade.A emancipação feminina tem seu papel na separação.Historicamente a mulher saía da casa dos pais direto para o casamento, inclusive na separação, ela era “devolvida” para os pais. Hoje a mulher já mora sozinha mesmo antes do casamento e tem sua independência financeira. Para alguns homens a mulher ser bem sucedida pode incomodar, pois ele não será mais o dono da situação, ele perde o controle, como se isto fosse necessário. O homem não está preparado para ser sustentado por uma mulher, causando um sentimento de impotência.Poderíamos seguir páginas e páginas descrevendo situações que contribuem para o fim de um relacionamento conjugal, o objetivo foi apenas elucidar as causas mais comuns.

catastrofes em série dão asas a teorias sobre fim do mundo

Por Mark McCord HONG KONG, 11 out (AFP) - A tsunami de dezembro de 2004 no oceano Índico, o furacão Katrina no Golfo do México e agora o terremoto da Ásia são, segundo os cientistas, uma mera coincidência, mas muitas pessoas, principalmente religiosos, vêem estas catástrofes como sinais claros da proximidade do fim do mundo.

Para o tele-evangelista ultraconservador americano Pat Robertson, a série macabra marca o fim do mundo e anuncia o retorno iminente de Jesus Cristo.

"Estas tragédias começaram a acontecer com uma regularidade espantosa", afirmou recentemente à rede de notícias CNN.

Fundador da "Christian Coalition" (Coalizão Cristã), que afirma que o fim do mundo será precedido por revoltas políticas e catástrofes geológicas, Robertson interpreta os últimos acontecimentos como sinais premonitórios.

Aludindo à Bíblia, recordou que no Livro Sagrado está claro que um dia Jesus Cristo voltará para iniciar uma nova era. "Só que antes da chegada deste tempo haverá dias difíceis semelhantes aos momentos que precedem o nascimento de uma criança para uma mãe grávida", frisou.

Este pastor batista carismático, muito reacionário, é amplamente conhecido nos Estados Unidos onde também é um influente homem de negócios, sobretudo depois de ter criado uma rede de televisão - a Christian Broadcasting Network -, um canal que usa para atacar regularmente o comunismo e o islamismo.

As profecias bíblicas que evocam o fim do mundo são fontes de inúmeras teorias que sublinham a mão de Deus nas catástrofes naturais. O Evangelho de Mateus cita Jesus Cristo explicando aos discípulos que o apocalipse será precedido de terremotos. O maremoto do dia 26 de dezembro de 2004, gerado por um poderoso sismo e que matou pelo menos 217 mil pessoas, entra nesta categoria de terremotos anunciados pelo Evangelho, da mesma forma que o de sábado na Ásia meridional, que pode ter deixado cerca de 40 mil mortos.

Muitos incluem qualquer catástrofe natural, o que permite aos fundamentalistas americanos acrescentar as 1.200 vítimas deixadas pelo furacão Katrina no sul dos Estados Unidos.

"É uma advertência e um prelúdio de tudo que ocorrerá na Terra... isso deveria levar as pessoas a se arrepender enquanto há tempo", escreveu o pastor Mark Hitchcock no portal cristão fundamentalista "Left Behind Prophecy Club".

Na contramão deste discurso, os cientistas não explicam da mesma maneira as catástrofes em série dos últimos meses.

Os geólogos, em particular, reiteram que as recentes catástrofes não são mais numerosas do que as do passado, quando se contabilizava tragédias durante vários séculos.

"Tudo não passa de mera coincidência", explicou o professor Chan Lung San, perito em Ciências da Terra na Universidade de Hong Kong.

"Não há qualquer relação. Os acontecimentos geológicos e meteorológicos como vêm acontecendo são independentes uns dos outros", ressaltou

terça-feira, 1 de setembro de 2009

A CRUZ DE JESUS , NOS TRAZ ESPERANÇA.


Por que os discípulos de Jesus estavam dispostos a morrer?
O que levou os 12 discípulos a suportar a perseguição e o martírio?
............................................................................................................................................
OS DOZE APÓSTOLOS 1. André - crucificado 2. Bartolomeu - surrado e depois crucificado 3. Tiago, filho de Alfeu - apedrejado até a morte 4. Tiago, filho de Zebedeu - decapitado 5. João - exilado por causa da sua fé; morreu por velhice 6. Judas (não o Isacariotes) - apedrejado até a morte 7. Mateus - perfurado com lanças até a morte 8. Pedro - crucificado de cabeça para baixo 9. Filipe - crucificado 10. Simão - crucificado 11. Tomás - perfurado com lanças até a morte 12. Matias - apedrejado até a morte (fonte: Fox's Book of Martyrs)
...................................................................................................................................
Três dias após ser crucificado, Jesus não estava na gruta que foi seu sepulcro. Alguns dizem que os discípulos de Jesus roubaram o seu corpo. Se isso for verdade, por que eles morreriam por algo que eles sabiam que era mentira? Você morreria?
E o caso deles não foi um suicídio em massa, no qual se uniram numa encenação ilusória. Cada um deles deixou família e emprego, viajando para países distantes, pregando que Jesus morreu e ressuscitou. Se os discípulos estivessem inventando tudo, cada um deles escolheu morrer prematuramente por algo que eles sabiam que não era verdade. Isso não faz sentido.
O que realmente faz sentido são os fatos históricos. Mesmo enquanto eram torturados, os discípulos insistiram que eles, tal como centenas de outros judeus, tinham visto Jesus vivo. Quando alguns foram presos e ordenados a não falarem sobre a ressurreição de Jesus, eles responderam: "Não podemos deixar de falar do que temos visto e ouvido!"
Eles sabiam que Jesus tinha sido surrado, chicoteado, pregado em uma cruz para morrer numa exibição pública. Uma lança foi transpassada na lateral de seu corpo para confirmar a sua morte. Soldados romanos montaram guarda na frente no sepulcro porque Jesus tinha afirmado que três dias depois de ser crucificado, ele ressuscitaria dos mortos.
No terceiro dia, os guardas fugiram; uma rocha de duas toneladas que selava a entrada do sepulcro estava lá em cima numa ladeira e o corpo de Jesus tinha desaparecido. Dentro da gruta, Pedro e João viram os panos que envolviam Jesus ainda lá, vazios.
Depois disso, os discípulos viram Jesus vivo por várias vezes. Eles ainda tiveram longas conversas e comeram com ele -- depois de sua morte por crucificação. Estes discípulos chegaram ao momento de suas mortes proclamando sobre o que não tinham dúvida alguma -- que Jesus tinha ressuscitado dos mortos, provando que ele era tudo o que tinha declarado ser: o Filho de Deus.
Qual a sua opinião? Talvez você nunca precise morrer por causa do que crê sobre Jesus como eles morreram, mas você pode ter a mesma certeza que eles tiveram. Para aprender mais sobre Jesus e os fatos da sua ressurreição, leia "João" na Bíblia.
Envie esta página para um amigo Como começar um relacionamento com Deus

A crucificação de Jesus - O significado da Cruz

Muitos pensam que uma aflição ou sofrimento significa a "cruz" que devem levar. Mas vamos conhecer as Escrituras:

• "1JO 3:8 - Quem comete o pecado é do diabo; porque o diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para destruir as obras do diabo."

A Crucificação de Jesus Cristo é o fim das obras do diabo, pois o Sangue derramado na cruz nos limpa de todo pecado.

Mas quem não cre na Crucificação possui as imundícias do pecado, e "quem comete o pecado é do diabo". Diabo significa "adversário". Ou seja, o diabo trabalha para o nosso mal, nos fazendo sofrer. E, por não conhecerem as Escrituras, o sofrimento causado por um demônio é visto como "a cruz que deve ser carregada". Assim carregam o adversário pensando ser a cruz.

Embora outros homens tenham sido crucificados por seus crimes, e alguns talvez por crimes que não cometeram, Jesus foi crucificado por todos os pecados praticados no mundo. Foi crucificado no seu lugar e no meu. As escrituras registram o fato:

• "LC 23:33 - E, quando chegaram ao lugar chamado a Caveira, ali o crucificaram, e aos malfeitores, um à direita e outro à esquerda.

LC 23:34 - E dizia Jesus: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. E, repartindo as suas vestes, lançaram sortes."

"Perdoa-lhes", disse Jesus. Embora eles o estivessem crucificando, o Senhor orou ao Pai pedindo que lhes perdoasse. E ao dizer: "Perdoa-lhes", orava também por mim e por você. E foi para isto que ele morreu no Calvário: propiciar o perdão a uma humanidade perdida e agonizante.

Não é através de práticas religiosas, como penitência, orações a santos, karma, etc., que obtemos o perdão de nossos pecados. Só obtemos o perdão por intermédio do sacrifício vicário de Cristo na cruz do Calvário:

• "1PE 2:24 - Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados."

"pelas suas feridas fostes sarados." O Senhor Jesus foi ferido em nosso lugar, para nos sarar!

A Morte de Jesus

Jesus tinha plena consciência de que Sua missão se cumpriria através de Sua morte:

• "MT 16:21 - Desde então começou Jesus a mostrar aos seus discípulos que convinha ir a Jerusalém, e padecer muitas coisas dos anciãos, e dos principais dos sacerdotes, e dos escribas, e ser morto, e ressuscitar ao terceiro dia."

• "MT 20:28 - Bem como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos.

• "JO 3:14 - E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado;"

Jesus deixou-se prender e crucificar porque o quis; entregou-se voluntariamente, em cumprimento da vontade do Pai para a salvação dos homens:

• "JO 10:17 - Por isto o Pai me ama, porque dou a minha vida para tornar a tomá-la.

JO 10:18 - Ninguém ma tira de mim, mas eu de mim mesmo a dou; tenho poder para a dar, e poder para tornar a tomá-la. Este mandamento recebi de meu Pai."

--------------------------------------------------------------------------------

Conhecia a hora:

• "JO 12:23 - E Jesus lhes respondeu, dizendo: É chegada a hora em que o Filho do homem há de ser glorificado."

• "JO 13:1 - ORA, antes da festa da páscoa, sabendo Jesus que já era chegada a sua hora de passar deste mundo para o Pai, como havia amado os seus, que estavam no mundo, amou-os até o fim."

• "JO 17:1 - JESUS falou assim e, levantando seus olhos ao céu, disse: Pai, é chegada a hora; glorifica a teu Filho, para que também o teu Filho te glorifique a ti;"

A crucificação fazia a vitima incorrer na maldição da lei:

• "DT 21:22 - Quando também em alguém houver pecado, digno do juízo de morte, e for morto, e o pendurares num madeiro,

DT 21:23 - O seu cadáver não permanecerá no madeiro, mas certamente o enterrarás no mesmo dia; porquanto o pendurado é maldito de Deus; assim não contaminarás a tua terra, que o SENHOR teu Deus te dá em herança."

• "GL 3:18 - Porque, se a herança provém da lei, já não provém da promessa; mas Deus pela promessa a deu gratuitamente a Abraão."

A morte de Jesus foi, do ponto de vista legal e moral, o maior dos crimes, o mais hediondo desvio à justiça. O próprio governador que deu a ordem, confessava que nenhum crime achava em Jesus (Lc 23:4,14). A culpa dos judeus foi ainda maior (Jo 19:11); crucificaram "o Senhor da glória." (1 Co 2:8), seu próprio e verdadeiro Rei (Jo 19:15).

O Significado da Cruz

A teologia cristã é a Cruz:

• "1CO 1:18 - Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem; mas para nós, que somos salvos, é o poder de Deus."

Todo o Novo Testamento testifica da verdade estarrecedora de Cristo crucificado, porém triunfante. Seu tema constante é a paixão vitoriosa do Filho de Deus. Do principio ao fim está dizendo:

• "JO 1:29 - No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo."

Os cristãos gloriavam-se no escândalo da Cruz:

• "1CO 15:3 - Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras,

1CO 15:4 - E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras."

Que significa tudo isso? Que vem a ser a Redenção? O tema é sem dúvida inesgotável; vamos, contudo, salientar alguns de seus aspectos fundamentais, de acordo com a Bíblia:

Na Cruz, Deus se revela aos homens.

No momento em que Jesus entregou Seu espírito, deu-nos o acesso direto a Deus, rasgando-se o véu:

• "MT 27:51; MC 15:38; LC 23:45 - E eis que o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo; e tremeu a terra, e fenderam-se as pedras;"

O véu ali se achava, há longos anos, vedando ao homem pecador os últimos mistérios da religião e impedindo. simbolicamente, a saída de Deus ao encontro do pecador. Parecia que ali houvesse de permanecer para sempre e que, portanto, o homem jamais pudesse conhecer de perto a Deus. Agora, é rasgado o véu; Deus se dá a conhecer ao homem. A Cruz traz o homem para Deus, levando Deus ao homem:

• "HB 10:19 - Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus..."

Na Cruz, Deus toma a iniciativa e entra em ação a favor do homem

A pregação de Pentecoste afirmou que Jesus foi entregue pelo determinado desígnio e presciência de Deus:

• "AT 2:23 - A este que vos foi entregue pelo determinado conselho e presciência de Deus, prendestes, crucificastes e matastes pelas mãos de injustos;"

• "2CO 5:19 - Isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados; e pôs em nós a palavra da reconciliação."

Deus estava agindo. Cristo encarou resolutamente sua ida a Jerusalém:

• "LC 9:51 - E aconteceu que, completando-se os dias para a sua assunção, manifestou o firme propósito de ir a Jerusalém."
para realizar Sua missão:

• "LC 12:50 - Importa, porém, que seja batizado com um certo batismo; e como me angustio até que venha a cumprir-se!"

A graça é o amor em ação; é o amor tomando a iniciativa. Quando éramos ainda pecadores, Cristo morreu por nós. Esse conceito vem desde o Antigo Testamento, onde a atividade redentora de Deus se exprime através da história de Israel. Ele não nos trata segundo os nossos pecados, nem nos retribui consoante nossas iniqüidades:

• "SL 103:10 - Não nos tratou segundo os nossos pecados, nem nos recompensou segundo as nossas iniqüidades."

• "IS 45:21 - Anunciai, e chegai-vos, e tomai conselho todos juntos; quem fez ouvir isto desde a antiguidade? Quem desde então o anunciou? Porventura não sou eu, o SENHOR? Pois não há outro Deus senão eu; Deus justo e Salvador não há além de mim."

Na Cruz, o Filho de Deus consuma Sua identificação com o homem pecador.

Desde o inicio, Jesus fez questão de identificar-se ao máximo com os homens. Por que havia Ele de submeter-se ao batismo, símbolo da remissão de pecados? Que iria fazer o Santo de Deus no confessionário?! Não podia Ele ficar de lado, dizendo: "Isso é para os pecadores; para mim não tem sentido?" Se o fizesse, não seria nosso Salvador. O que Jesus fez naquele dia, no Jordão, foi identificar-se com os quebrantados e oprimidos, com os infelizes e deserdados, fazendo Sua a dor que eles sofriam, a vergonha que sobre eles pesava, sendo contado com os transgressores:

• "IS 53:12 - Por isso lhe darei a parte de muitos, e com os poderosos repartirá ele o despojo; porquanto derramou a sua alma na morte, e foi contado com os transgressores; mas ele levou sobre si o pecado de muitos, e intercedeu pelos transgressores."

Nas Suas amizades, colocou-se ao lado dos Zaqueus, das Marias Madalenas - não de maneira forçada ou oficial, nem com a superioridade tácita dos moralmente religiosos, porém, simples e diretamente, porque os amava e não se envergonhava de lhes chamar de irmãos:

• "HB 2:11 - Porque, assim o que santifica, como os que são santificados, são todos de um; por cuja causa não se envergonha de lhes chamar irmãos..."

Quando morreu, foi colocado entre dois criminosos. Durante toda a Sua vida Ele pertencera aos pecadora, e na morte não se apartou deles. É o lugar de Sua escolha. Por vontade de quem, por ato de quem, está Jesus ali? De Pilatos, dos sacerdotes, do povo, dos poderes das trevas: essa é uma partícula da verdade. "Ninguém me tira a vida; Eu espontaneamente a dou." (JO 10:18) Ele podia ter-se esquivado. Foi tentado repetidamente a fazê-lo: no deserto (MT 4); por Pedro (MT 16:22-23); no Getsêmani (MT 26-42), até Seu suor era como se fossem gotas de sangue (LC 22:44). Morreu voluntariamente:

• "MT 26:53 - Ou pensas tu que eu não poderia agora orar a meu Pai, e que ele não me daria mais de doze legiões de anjos?"

Podia - mas não quis esquivar da Cruz. Fez-se contar com os transgressores, para levar os nossos pecados. Foi na paixão voluntária do amor, que Ele se identificou comigo e se deu por mim.

Na cruz, é oferecido um sacrifício representativo pelos pecados do mundo

O que significa o brado de desamparo:

• "MT 27:46 - E perto da hora nona exclamou Jesus em alta voz, dizendo: Eli, Eli, lamá sabactâni; isto é, Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?"

É mistério - o mistério de Sua Pessoa; porém, uma cousa é certa: é o amor de Deus, é a graça de nosso Senhor Jesus Cristo. Ele, que não conheceu pecado, é "feito pecado" por nós:

• "2CO 5:21 - Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus."

Levou sobre si a carga inominável do pecado humano, e no Seu brado de desamparo vemo-lo cambalear sob o peso. Em toda a história, somente este Ultimo Adão chegou a ver o pecado como Deus o vê. Como, pois, não hei de confessar, com humildade, com adoração o na companhia da grande multidão dos remidos no céu e na terra:

• "1PE 3:18 - Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; mortificado, na verdade, na carne, mas vivificado pelo Espírito;"

Na Cruz, é oferecido um sacrifício expiatório

Jesus, o Cordeiro de Deus, se identificou conosco na Encarnação. É crucificado por nós. E Ele mesmo, nosso Sumo Sacerdote, entra com Seu sangue, através do véu de Sua carne ferida, à presença imediata do Pai. Assim fazendo, leva consigo nossa vida, pois com Ele morremos:

• "2CO 5:14 - Porque o amor de Cristo nos constrange, julgando nós assim: que, se um morreu por todos, logo todos morreram."

Porque estamos identificados com Ele, Cristo leva no coração de Sua humanidade divina, toda a ignominia e toda a ferida do nosso pecado. Seu ato representativo é um ato expiador.

Na Cruz, o pecador é identificado com Cristo, e a Ele unido

Como Cristo se Identifica com minha dor, minha fraqueza. minha derrota, hei de identificas-me agora com Seu sacrifício, Seu poder, Sua vitória. Nisso é que se torna possível a transfusão da Sua vida: Ele leva meu fracasso, minha vergonha e miséria; eu tomo Sua força, Sua pureza e paz. Não há Redenção para o pecador sem a Sua identificação com o Redentor. Assim como não se pode traçar um arco de um circulo, sem que seja côncavo e ao mesmo tempo convexo, assim toda a verdade objetiva da obra expiatória de Cristo é incompleta e destituída de sentido sem que haja a devida apropriação subjetiva da mesma pelo pecador. Se o pecador não estiver em Cristo, para ele foi em vão, a obra redentora que Cristo efetuou em seu favor. Está aí, objetivamente e para sempre, porém sem efeito, até que o homem, remido, possa confessar:

• "GL 2:20 - Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim."

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

MEU DEUS!!! ONDE ESTAMOS?


Igreja Evangélica Luterana na América abre ministério a gays e lésbicas com relações estáveis
A Assembléia Geral da Igreja Evangélica Luterana na América (ELCA na sigla em inglês) aprovou abertura do ministério ordenado a pastores gays e pastoras lésbicas que tenham relação estável.
A aprovação foi alcançada em uma votação com 559 votos a favor e 451 contra na instância mais elevada do corpo eclesiástico de mais de 4.6 milhões de membros. Anteriormente a Assembléia também havia aprovado uma resolução em que a igreja se compromete a encontrar um caminho para as congregações que optam por “reconhecer, apoiar e defender relações de mesmo gênero que são publicamente assumidas e monogâmicas”, apesar de nesta resolução não utilizarem a palavra ‘matrimônio’.
Essas ações mudam a política da igreja, que até então permitia que as pessoas de orientação sexual gay ou lésbica fossem incorporadas ao ministério quando exercessem o celibato.
Ao longo da Assembléia, que começou no dia 17 de agosto, a maioria dos 1000 delegados com direito de voto tiveram um debate sobre sexualidade humana. Na quarta (19) adotaram a declaração social sobre o tema como uma ferramenta educativa e um guia da política da igreja sobre sexualidade humana.
Antes da espinhosa discussão sobre a união entre pessoas do mesmo gênero no ministério, a assembléia aprovou por 771 votos favoráveis a 230 contrários uma resolução comprometendo a igreja a respeitar as diferenças de opiniões sobre o tema.
Durante as horas de discussão, conduzidas pelo bispo presidente da ELCA, reverendo Mark S. Hanson, os delegados tiveram vários momentos de reflexão para orar, algumas vezes em pequenos grupos em volta das mesas nas quais os membros com direito a voto debatiam e expressavam seu parecer.
As discussões demonstraram que o tema da sexualidade deve ser debatido em profundidade. O pastor Richard Mahan, do Sínodo da Virgínia do Oeste e de Maryland, manifestou-se contra a abertura do ministério sacerdotal a gays e lésbicas porque a considera contrária aos ensinamentos bíblicos. “Não posso compreender como a igreja que conheci por 40 anos pode apoiar aquilo que Deus condenou", defendeu. "Isso significa que a partir de agora se diz que nas Escrituras a homossexualidade e o casal de pessoas do mesmo sexo são aceitáveis por Deus", agregou.
Outros expressaram que a ampla aceitação de pessoas de orientação gay na igreja era consistente com a Bíblia. O bispo Gary Wollersheim, do Sínodo da ELCA do Norte de Illinois, disse que este era um tema de justiça e de hospitalidade, representando aquilo que Jesus espera das pessoas. Wollersheim anunciou que foi fortemente influenciado pelo diálogo nos encontros de jovens realizados em seu Sínodo.
Alguns oradores argumentaram que a aprovação de tal medida afastaria membros da ELCA e provocariam uma diminuição no número de fiéis. Allison Gutte, do Sínodo Metropolitano de Nova Iorque, frisou que viu congregações florescerem porque se comprometeram com esse tema ao reconhecerem os dons de pastores gays e pastoras lésbicas.
Fonte: ALC - Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação